terça-feira, 26 de dezembro de 2017

Videogame na sala de aula? Conheça o que é gamificação na educação e suas vantagens



A gamificação (ou gamification) na educação é um tema cada vez mais frequente entre as tendências nos métodos de ensino. Saiba mais sobre esses jogos e características

Se em algum momento no passado videogame e escola eram assuntos completamente distantes – e, às vezes, até inimigos –, os tempos mudaram bastante: hoje a gamificação traz benefícios e recursos para professores ao redor do mundo e constituem uma nova maneira de ensinar. O que é gamificação? É o processo de introduzir elementos de jogos na realização de uma tarefa ou objetivo específico. Em linhas gerais, é adaptar características dos games em outros ambientes, como o trabalho, a transmissão de informações, campanhas de conscientização e, como veremos aqui, na educação.

Vantagens da gamificação no ensino

Talvez o principal ponto de interesse ao inserir elementos de jogos no processo de ensino esteja na forma como essas características chamam a atenção do aluno. Em um universo tão disputado pelos recursos tecnológicos, cada vez mais conectados e menores, qualquer proposta que atue no crescimento do interesse dos estudantes é sempre atrativa. Se levarmos em conta o grande número de pessoas que jogam ao redor do mundo, principalmente videogames e jogos online, fica fácil entender o sucesso dessas propostas aplicadas no ambiente de ensino. Apesar de ser uma característica bastante presente nos ambientes virtuais, os processos de gamificação também podem ser aplicados em jogos físicos, como os de tabuleiro, por exemplo.

Características de games no ensino
Um dos pontos principais de inserir recursos de gamificação no ensino está em estipular missões e jornadas ao estudante. Sob o efeito de um desafio ou uma conquista final, é bem comum que o aluno se interesse a cumprir as etapas. Cada novo passo pode render uma conquista e isso pode gerar pontos e até prêmios virtuais, como troféus e medalhas. Esse tipo de compensação, mesmo que virtual, favorece a criação de um ranking e a uma competição saudável. Por fim, falar de games também está relacionado à criação de personagens e cenários: como era o Brasil na época do seu Descobrimento, como eram as pessoas que aqui viviam, seus trajes e cabelos? Um ponto importante a ser analisado é o equilíbrio entre esses assuntos: a proposta deve percorrer uma linha intermediária. Se for muito voltada ao game, não será eficiente no ensino. Por outro lado, se for muito didática, não vai parecer um game e, assim, pode não chamar a atenção necessária do aluno.

Como começar
Pesquise exemplos na internet e em publicações de educação que estejam alinhadas com esses conceitos. Tente relacionar, a partir da matéria escolhida, eventuais problemas e quais seriam os objetivos a ser alcançados pelo jogo. É importante que as informações não sejam entregues facilmente aos alunos, mas que eles busquem mecanismos para encontrar essas chaves para resolução. Incentive a turma para topar esse desafio e explique a importância de que seja resolvido com trabalho de equipe.
Boa sorte, aliás, bom jogo!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contribua deixando seu comentário.