quarta-feira, 11 de outubro de 2017

Ensino médio 2018: veja o que falta para a implementação

O governo lançou a proposta em setembro do ano passado


A nova proposta do Ensino Médio terá um currículo comum para todos, com carga horária de 60% do curso e os 40% restantes será escolhida pelo estudante baseando-se na carreira que quiser seguir e nas opções que a escola oferecer, podendo optar por uma entre essas cinco áreas: linguagens, matemática, ciências da natureza, ciências humanas e formação técnica e profissional.

Apesar de algumas escolas públicas já aderirem ao novo modelo neste ano, existem instituições com dificuldades em colocar o projeto para andar, afinal existem ajustes a serem definidos como, por exemplo, o currículo básico que ainda não foi definido pelo MEC – Ministério da Educação. A previsão para o ano de 2018 é de atingir uma carga horária de no mínimo mil horas, em um período de até 5 anos.
A grande preocupação dos pais é em relação ao aumento das mensalidades que irá entrar no orçamento familiar, causando alguns apertos. Com isso, programas de incentivo a Educação no Brasil, buscam oferecer um melhor ensino nas instituições particulares do País, a exemplo do Educa Mais Brasil que disponibiliza bolsas para a Educação Básica com 50% de desconto nas mensalidades.
Para ter acesso a esse benefício, os país ou responsáveis do aluno deverão entrar no site www.educamaisbrasil.br, escolher o nível de escolaridade, instituição disponível e fazer a inscrição de forma gratuita.


Ascom – Educa Mais Brasil 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contribua deixando seu comentário.