quinta-feira, 21 de novembro de 2013

5 benefícios do DHA para a saúde e inteligência do seu filho

Por: Andressa Basilio

Existe um componente do óleo de alguns tipos de peixes – bem específico, como você pode perceber – que, quando acrescentado na alimentação do dia a dia, pode fazer um bem enorme para o seu filho. Estamos falando do DHA (docosa-hexaenoic-acid), que de uns tempos para cá se tornou tema de muitos estudos da literatura médica. Tudo graças à sua atuação direta na formação e funcionamento dos neurônios.
O DHA nada mais é do que uma gordura boa da cadeia ômega-3, presente somente em peixes de água fria, como atum, bacalhau, salmão, sardinha e truta. Apesar desses alimentos não estarem presentes na mesa todos os dias, a Organização Mundial da Saúde (OMS) preconiza a ingestão diária deste ácido-graxo em torno de 200 mg. E não há restrição de idade. A recomendação da Sociedade Brasileira de Pediatria é que os bebês sejam “apresentados” ao componente antes mesmo de nascer, por meio da alimentação da gestante - já que a gordura vai atuar na formação cerebral do feto -, e continuem com a substância pelo resto da vida.
Para você ter ideia, um filé de 100 g de salmão silvestre tem cerca de 1,4 g do nutriente, mas, como os que são vendidos no Brasil são criados em cativeiro (sem dados sobre a qualidade nutricional), o ideal é que o peixe seja consumido de duas a três vezes por semana por toda a família - inclusive porque não se sabe a quantia exata absorvida pelo organismo.
Com a ajuda do pediatra e nutrólogo do Hospital das Clínicas (SP), Mário Falcão, selecionamos os cinco principais benefícios do DHA para o seu filho – e para você. Confira a seguir:
- Aprendizado e memória
O DHA tem uma atuação direta em três funções do cérebro: memória, aprendizagem e fixação do conhecimento. Isso acontece porque ele ajuda a construir e estruturar as bainhas de mielina, uma capa de gordura que ajuda a formar as sinapses – comunicação entre os impulsos nervosos do cérebro. Quanto mais sinapses, melhor o funcionamento cerebral. Alguns estudos já mostram que a ingestão recomendada deste componente pode garantir 7 pontos de QI a mais para uma criança.
- Melhor leitura
Uma pesquisa da Universidade de Oxford, Reino Unido, notou que crianças com altos níveis de ômega-3 no sangue, mais especificamente de DHA, eram as que tinham melhor habilidade para leitura e mais concentração para prestar atenção no conteúdo ensinado em sala de aula.
- Menor chance de prematuridade e baixo peso
No início deste ano, um estudo feito ao longo de dez anos pela Universidade do Kansas e publicado no American Journal of Clinical Nutrition indicou que grávidas que consumiram 600 mg de ômega-3 (que contém cerca de 120 mg de DHA) por dia tiveram chance reduzida de ter um bebê antes das 34 semanas de gravidez e com baixo peso.
- Boa visão
Como a visão também está associada ao sistema nervoso, o DHA atua na formação e fortalecimento da retina, o que diminui as chances de aparecimento de problemas oculares.
- Imunidade turbinada
Este é o benefício mais recente atribuído ao DHA. Pesquisadores da Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, descobriram que o componente tem potencial para minimizar inflamações crônicas, relacionadas tanto com problemas ósseos, como artrite, até cardiovasculares. Isso porque o DHA pode ser convertido pelo próprio organismo em uma substância chamada maresins, que “desligam” os processos inflamatórios.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contribua deixando seu comentário.