quarta-feira, 3 de outubro de 2012

Veja 10 dicas para se preparar para o Enem faltando um mês para o exame

G1 Educação
 
Falta um mês para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2012. As provas serão realizadas nos dias 3 e 4 de novembro. De acordo com o balanço final divulgado pelo Ministério da Educação, o sistema recebeu um total de quase 6,5 milhões de inscrições. É o maior número de candidatos inscritos da história do exame.

O exame tem quatro provas objetivas, cada uma com 45 questões de múltipla escolha e uma redação. As provas vão tratar de quatro áreas de conhecimento do ensino médio: ciências humanas, ciências da natureza, matemática, linguagens e redação. Para que o estudante não se desespere e nem se perca em sua programação nestes próximos 30 dias, o G1 ouviu professores de cursinhos preparatórios e lista abaixo dez dicas para a reta final de estudos para o Enem. Confira:

1) Leia muito

"As questões do Enem são elaboradas para avaliar as competências e as habilidades dos candidatos. Ele deve priorizar, para fazer uma boa prova, a leitura. Não uma leitura passiva, em que não se exercita a reflexão, mas uma leitura observadora, atenta, investigativa, que provoque questionamentos ao texto e à vida. Aquele que se habitua a refletir sobre o que lê, busca no texto as respostas para os questionamentos feitos e, quando não consegue se satisfazer, produz suas inferências e cresce intelectualmente com isso. O Enem busca o leitor que conhece o mundo que o cerca, seja pela vivência, seja pelo texto; o que reflete sobre o que vê ou lê e o que busca soluções para o que vive, ou seja, uma pessoa ativa e atuante diante do mundo."
> Rita Bezerra, professora do Sistema Elite de Ensino, Rio de Janeiro
"É um mês para pegar e se atualizar mais do que nunca, melhor ler revistas e jornais. Internet e TV desviam mais o foco"
> Paulo Lima, coordenador do CPV Vestibulares, São Paulo


2) Mantenha o ritmo de estudos

"O estudante deve manter seu ritmo de estudo. Quem está estudando desde o início do ano, pelo menos, já possui um ritmo e uma organização de estudos que não deve ser alterada às vésperas da prova. Quem descuidou e não estudou com regularidade e de maneira organizada, deve procurar fazer um cronograma que contemple a resolução das questões das provas do Enem dos últimos anos – começar do zero, nessa altura, será pouco produtivo. Não há milagres para uma prova que contempla todo o conteúdo e todas as habilidades e competências que deveriam ser desenvolvidos desde o 1º ano do ensino médio. Também por isso, alunos, que sempre estudaram para suas avaliações regulares do colégio, não devem se preocupar por não terem estudado horas e mais horas especificamente para o Enem."
> Célio Tasinafo, coordenador pedagógico da Oficina do Estudante, Campinas, SP


3) Pratique com as provas anteriores

"Pegar provas do Enem de anos anteriores e as refaçam (veja aqui as provas do Enem 2011). A partir daí eles vão ver as tendências da prova, os conteúdos mais exigidos e ver quais são as matérias que eles vão ter de focar nos estudos. Em geral se o aluno está preparado para um vestibular muito concorrido como o da Fuvest ele está preparado para o Enem."
> Paulo Lima, coordenador do CPV Vestibulares, São Paulo


4) Faça um plano de estudos

"O Enem é uma prova muito abrangente, por isso, a palavra-chave agora é não focar em nenhuma matéria específica. O ideal é fazer um plano bem rápido, nessas ultimas semanas, o aluno deve colocar no papel os temas em que ele não tem conhecimento nenhum e procurar saber um pouco sobre eles. O importante é saber um pouquinho de muita coisa."
> Adonis Miguel Jr., professor do Curso Progressão Autêntico, Duque de Caxias, RJ

5) Faça duas redações por semana

"O estudante deve treinar seus conhecimentos nos simulados e provas anteriores e deve ainda fazer pelo menos duas redações por semana. É importante que ele mantenha esta prática até o dia da prova. Peça para algum professor corrigir. Trabalhe temas sociais e da atualidade, como as condições climáticas, a Rio+20, a questão Palestina, o crescimento econômico da China, entre outros."
> Vera Lucia da Costa da Antunes, coordenadora de geografia do Curso Objetivo, de São Paulo

6) Compreenda o conteúdo sem 'decoreba'

"O melhor roteiro dos conteúdos importantes é formado pelas provas dos anos anteriores. Se o aluno possui resumos pessoais, anotações específicas, fichas ou algum material didático sintético, deve fazer uso do mesmo na medida em que as questões dos anos anteriores forem exigindo. Tentar produzir um resumo agora ou decorar um resumo existente é completamente inviável. Além disso, as provas do Enem não favorecem estudantes que possuam informações “decoradas” e “descontextualizadas”.
> Célio Tasinafo, coordenador pedagógico da Oficina do Estudante, Campinas, SP

 
7) Esteja antenado com os temas da atualidade

"É bom estar ciente das informações da atualidade, principalmente naquelas que dizem respeito à política governamental, nas ações afirmativas e naquilo que tange às relações internacionais. Creio que os assuntos que serão mais explorados no Enem serão aqueles que obtiveram maior projeção, principalmente aqueles que relacionam o contexto nacional ao internacional. Por exemplo, despertou muita atenção o caso da deposição do presidente paraguaio Fernando Lugo. Além dos veículos de comunicação, muita coisa foi debatida na internet, o que pode ser retomado. Outro ponto relevante diz respeito ao encontro da Conferência das Nações Unidades sobre Desenvolvimento Sustentável, a Rio+20. Por toda sua relevância internacional e todo um passado de discussões sobre o tema, que facilmente envolve as disciplinas de história, geografia e biologia, só para ficar nas mais evidentes. Outra questão polêmica que pode ser retomada é a recente ampliação das cotas nas universidades, tema que igualmente já vem sido debatido e que abrange as disciplinas de humanidades na sua integralidade."
> Stefan Chamorro, professor Sistema Elite de Ensino, Porto Alegre, RS

8) Aprenda com os erros

"O estudante deve fazer um planejamento de estudo com uma carga de 3h a 4h por dia. Nesse tempo ele deve resolver as provas anteriores do Enem para observar os pontos que precisa revisar. Deve aprender com os seus erros, ou seja, verificar que conceitos ainda não estão muito bem compreendidos nas questões que não obteve acerto."
> Rui Alves Gomes de Sá, coordenador do cursinho PH, Rio de Janeiro

9) Prepare a sua estratégia para a prova

"A prova, geralmente, é composta por questões fáceis, médias e difíceis e estão embaralhadas. É comum o aluno não conseguir fazer rapidamente uma questão ou outra devido ao seu grau de dificuldade. É muito importante que o aluno tenha uma estratégia para fazer a prova. Começar pelas fáceis é importante para a autoestima, pois dará uma sensação de que está fazendo “certo uma boa parte da prova”. Em seguida, fazer as questões com nível de dificuldade médio. E no final, caso dê tempo, as mais difíceis."
> Gilberto Gil Gomes Passos, professor do Sistema Elite de Ensino, Rio de Janeiro

10) Descanse e faça atividades físicas

"Se o estudante já tem esse costume ou se, mesmo esporadicamente, estudou aos sábados e domingos durante o ensino médio, os dias do final de semana podem e devem ser aproveitados. Nada, contudo, de muito exagero: conviver com amigos e familiares é importante, manter a prática de atividades físicas também ajuda muito. Mesmo os que utilizarem algum tempo do sábado e/ou do domingo para estudar, devem procurar descansar também – estudante cansado não conseguirá bom desempenho nas provas do Enem (duas longas provas, realizadas em dias seguidos)."
> Célio Tasinafo, coordenador pedagógico da Oficina do Estudante, Campinas, SP


As provas

O Enem será realizado nos dias 3 e 4 de novembro. O exame tem quatro provas objetivas, cada uma com 45 questões de múltipla escolha e uma redação. As provas vão tratar de quatro áreas de conhecimento do ensino médio.

Para a realização, das provas o candidato deverá usar somente caneta com tinta esferográfica preta e feita com material transparente.

As provas terão início às 13h (horário de Brasília). No dia 3 de novembro, os candidatos farão as provas de ciências humanas e suas tecnologias e de ciências da natureza e suas tecnologias, até as 17h30. No dia 4 serão realizadas as provas de linguagens, códigos e suas tecnologias, redação e matemática e suas tecnologias, que terminarão às 18h30. O candidato só pode entregar o gabarito e deixar a sala após duas horas de prova. Para levar o caderno de questões, é necessário esperar na sala até que faltem 30 minutos para o fim da prova.


O Inep recomenda que os candidatos cheguem ao local de prova ao meio-dia (horário de Brasília). É obrigatória a apresentação de documento de identificação original com foto para a realização das provas. Quem não tiver o documento deverá apresentar boletim de ocorrência emitido no máximo 90 dias antes da data da prova e se submeter a uma identificação especial e preenchimento de formulário próprio.

Conferência dos dados

Antes de iniciar as provas, de acordo com o edital, o candidato deverá verificar se o seu caderno de questões contém a quantidade de questões indicadas no seu cartão-resposta e contém qualquer defeito gráfico que impossibilite a resposta às questões. O estudante deverá ler e conferir todas as informações registradas no caderno de questões, no cartão-resposta, na folha de redação, na lista de presença e demais documentos do exame.

Se notar alguma coisa errada, o candidato deverá imediatamente comunicar ao aplicador de sua sala para que ele tome as providências cabíveis no momento da aplicação da prova.

Segundo o edital, a capa do caderno de questões possui informações sobre a cor do mesmo e uma frase em destaque, e caberá obrigatoriamente ao candidato marcar nos cartões-resposta, a opção correspondente à cor da capa do caderno de questões; transcrever nos cartões-resposta a frase apresentada na capa de seu caderno de questões. As respostas das provas objetivas e o texto da redação do deverão ser transcritos, com caneta esferográfica de tinta preta fabricada em material transparente, nos respectivos cartões-resposta e folha de redação, que deverão ser entregues ao aplicador ao terminar o exame.




O que não pode

O edital proíbe ao candidato, sob pena de eliminação, falar com outros candidatos, usar lápis, lapiseira, borracha, livros, manuais, impressos, anotações, óculos escuros, calculadora, agendas eletrônicas, celulares, smartphones, tablets, ipod, gravadores, pen drive, mp3 ou similar, relógio ou qualquer receptor ou transmissor de dados e mensagens.
Todos os pertences que não sejam a caneta preta de material transparente e o documento de identificação deverão ser guardados em um porta-objetos com lacre, que deverá ficar embaixo da carteira do candidato e só poderá ser reaberto após a saída dele da sala de prova.


A redação

O sistema de correção do Enem sofreu mudanças em 2012. A partir deste ano, a redação será corrigida por dois corretores de forma independente, sem que um conheça a nota atribuída pelo outro. A nota final é composta de cinco notas, que avaliam competências específicas do candidato.

A nota final corresponde à média aritmética simples das notas atribuídas pelos dois corretores. Caso haja discrepância de 200 pontos ou mais na nota final atribuída pelos corretores (em uma escala de 0 a 1.000), ou de 80 pontos ou mais em pelo menos uma das competências, a redação passará por um terceiro corretor, em um mecanismo que o Inep chama de "recurso de oficio".

Se a discrepância persistir, uma banca certificadora composta por três avaliadores examinará a prova. Os candidatos poderão solicitar vistas da correção, porém não poderão pedir a revisão da nota.

Será atribuída nota zero à redação: que não atender a proposta solicitada ou que possua outra estrutura textual que não seja a do tipo dissertativo-argumentativo; sem texto escrito na folha de redação, que será considerada "em branco"; com até sete linhas, qualquer que seja o conteúdo, que configurará "texto insuficiente"; linhas com cópia dos textos motivadores apresentados no caderno de questões serão desconsideradas para efeito de correção e de contagem do mínimo de linhas; com impropérios, desenhos e outras formas propositais de anulação, que será considerada "anulada".

Os resultados

Os gabaritos das provas objetivas serão divulgados no site http://www.inep.gov.br/enem no dia 7 de novembro. Os candidatos poderão acessar os resultados individuais do Enem 2011 a partir de 28 de dezembro, mediante inserção do número de inscrição e senha ou CPF e senha no endereço eletrônico http://sistemasenem2.inep.gov.br/.

O Inep diz que a utilização dos resultados individuais do Enem para fins de certificação, seleção, classificação ou premiação não é de responsabilidade do órgão, mas das entidades às quais os dados serão informados pelo candidato.

O Inep não fornecerá atestados, certificados ou certidões relativas à classificação ou nota dos candidatos. De acordo com a portaria publicada no "Diário Oficial", a inscrição do participante implica a aceitação das disposições, diretrizes e procedimentos para a edição do Enem contidas no edital. Para os adultos submetidos a penas privativas de liberdade e adolescentes sob medidas socioeducativas, que incluam privação de liberdade, haverá um edital para o processo de inscrição específico.

http://g1.globo.com/educacao/noticia/2012/10/veja-10-dicas-para-se-preparar-para-o-enem-faltando-um-mes-para-o-exame.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contribua deixando seu comentário.