quinta-feira, 18 de outubro de 2012

Enquete finalizada - Enem



A última enquete realizada aqui no blog do Educa Mais Brasil encerrou no dia 15 deste mês. Foram 196 votos de pessoas que acessaram o mesmo.

O questionamento era sobre a realização da prova do Enem.
Com a data chegando, perguntamos como vocês estavam se sentindo em relação ao exame. 72% dos votos consideram que estão inseguros, seguido por 56% que afirmam estarem confiantes, 55% dizem que estão ansiosos e por fim 24% estão empolgados.   

Devido a grande importância da nota do Enem, grande parte dos candidatos por mais que estudem pensam que estão inseguros, mas lembrem-se que ela não é nenhum bicho de 7 cabeças.

Selecionamos algumas dicas do site da ATREVIDA (http://atrevida.uol.com.br/arrasa/na-escola/enem-truques-para-fazer-uma-boa-prova-mesmo-sem-ter-estudado-tanto/2600/1) para ajudar vocês que estão com medo de levar bomba.

Dica 1: o Enem é politicamente correto
Nunca se esqueça: um dos princípios básicos do Enem é levar aos candidatos valores éticos e sociais, favoráveis ao meio-ambiente, aos diretos humanos, à saúde, à justiça social etc. e, portanto, você deve ficar atento a isso. Por exemplo, se em uma questão de física houver um texto gigante sobre como economizar na hora de preparar um alimento, preste atenção nas alternativas: a correta deverá estar ligada à economia em casa! 

Dica 2: não é politicamente correto? Tá errado!
Aqui vai um exemplo clássico: já rolou, no Enem, uma questão a respeito dos danos causados pelos anabolizantes e, obviamente, a alternativa correta discriminava o uso dessas substâncias. Ok, tem muita gente por aí que malha, faz uso de anabolizantes e discorda dessa informação em algum grau, mas não precisa deixar essa opinião clara bem na hora da prova, certo? A probabilidade de a resposta correta vetar as famosas “bombas” é muito, mas muito grande.

Dica 3: "nunca", "sempre"e seus variantes, no geral, estão nas questões incorretas
As questões do ENEM dificilmente afirmam ou negam algo com certeza absoluta, então, fique esperto! É fácil detectar uma alternativa errada: palavras como “sempre” ou “nunca”, “tudo” ou “todo”, “só” “somente” tendem a ser falsas.

Dica 4: desconfie da alternativa com resposta maior
O Enem é pró em preparar alternativas gigantescas para cada questão, o que contribui para o desespero a confusão de qualquer aluno. Para se safar dessa, saiba que, na maioria das vezes, a alternativa com o texto mais extenso está ERRADA. Isso porque esse texto mais longo permite o uso de mais palavras e expressões só para fazer o aluno quebrar a cabeça para responder. Pode checar nos últimos gabaritos, a maior parte das alternativas corretas possui textos curtos. Mas não se engane, que vez ou outra pode acontecer exatamente o contrário. Uma alternativa mais longa, que se destoa de outras mega curtas pode ser a correta!

Dica 5: fique esperto com a alternativa diferente das outras superparecidas. A chance de ela ser a certa é grande
Sabe aquela pergunta que apresenta quatro alternativas bem parecidas, além de outra que é totalmente nada a ver em relação às outras? Quando isso acontece, o mais comum é pensarmos que se quatro de cinco alternativas semelhantes, então a correta tem que ser uma delas, certo? ERRADO! Quando isso acontece no ENEM, geralmente a questão correta é justamente aquela que está sozinha, e que costuma passar despercebida. Se liga!

Dica 6: elimine as alternativas absurdas
Se você deu de cara com uma pergunta sobre a qual não faz ideia da resposta, saiba que duas das cinco alternativas obrigatoriamente são absurdas e não têm nada a ver com a resposta certa, então, comece tesourando essas. Daí, você já tem 33% de chance de acertar, já que faltam três alternativas. Continue: as outras duas opções erradas que restaram são feitas justamente para tentar enganar o candidato e convencê-lo de que estão certas. Nessa hora, se algo lhe soar um pouco estranho, mesmo que de leve, provavelmente se trata de uma resposta incorreta que deve ser eliminada. Depois disso fica fácil, pois sobram duas alternativas e você já tem 50% de chance de acerto. Tente se concentrar e assinalar a resposta correta.

Dica 7: as pegadinhas no Enem são diferentes
Apesar de o INEP jurar que não rolam pegadinhas nos testes do Enem, os especialistas atestam: rolam, sim. A diferença é que elas não dão tanto na cara. Essas pegadinha estão mais associadas à atenção na hora de resolver um dos testes.

Dica 8: gráficos, no geral, já trazem a resposta da questão
Muitas das questões que incluem gráficos são tidas como assustadoras, à primeira vista. Na verdade, essas questões apresentam, quase sempre, a resposta a uma questão, ainda que pareçam existir possíveis contas a ser feitas, por exemplo. 
Dica 9: Cuidado com alternativas "mais ou menos certas"! Quase sempre elas são consideradas erradas
Outra tática do Enem para confundir os candidatos é usar alternativas parcialmente corretas. Por exemplo, trazer definições corretas a uma alternativa e mesclar essa informação com algo que não é verdadeiro. Neste caso, vale o velho e bom "menos é mais". Dê preferência à resposta que talvez não aborde todos os aspectos do texto, mas que contenha informações inegavelmente corretas.

Dica 10: Chute de forma inteligente!
Ok, esta dica só funciona para quem tem certeza de que acertou a maior parte das questões. Quando terminar a prova e só restarem aquelas perguntas que te deixaram mega na dúvida, pegue seu gabarito e veja quantas vezes você assinalou cada alternativa (A, B, C, D e E). Depois, veja se parece haver um equilíbrio entre elas. Daí rola de “chutar” nas alternativas que menos foram assinaladas durante toda a prova. Aí vai o segredo: o MEC exige que haja uma espécie de igualdade entre as alternativas – deve haver respostas corretas em aproximadamente 20% de cada alternativa. Outro toque é que se você assinalou cerca de 16 alternativas “B”, por exemplo e apenas sete “E”, talvez seja interessante revisar especialmente aquelas questões que te deixaram na dúvida.

Agradecemos a todos os que votaram e sintam-se convidados a participar das próximas.

Abraços, Equipe Educa Mais Brasil!


Um comentário:

Contribua deixando seu comentário.