terça-feira, 11 de setembro de 2012

DICAS DE REDAÇÃO PARA O VESTIBULAR


O vestibular ainda é a forma mais comum de seleção das universidades e faculdades do Brasil. Os candidatos são convocados a testar seus conhecimentos em uma série de questões divididas por disciplinas e que exigem que os alunos resgatem conteúdos adquiridos durante toda a sua vida escolar.
A redação é uma das etapas mais importantes dos vestibulares. Como as questões de múltiplas escolhas permitem que os estudantes chutem alternativas, acabam exigindo além de atenção um pouco de sorte. A redação, ao contrário, mensura aos examinadores o nível de escrita, de ordenação de ideias e a capacidade de argumentação que o vestibulando adquiriu ao longo dos anos.
Essas habilidades são eficientes para qualquer ramo que o candidato decida seguir. Muito além de exigir conteúdos aprendidos em sala de aula durante os três anos do Ensino Médio, a escrita da redação mostra o quanto o aluno acompanha os assuntos do cotidiano e do mundo. Por conta disso, elaboramos algumas dicas que podem ajudar os vestibulandos nesse mês de novembro, em que começa a jornada de vestibulares.

ESCREVER, ESCREVER E ESCREVER
Praticar é o primeiro passo para escrever bem. Só escreve bem quem aplica as teorias e técnicas aprendidas. O treino é fundamental para levantar erros e vícios de linguagem que podem prejudicar o candidato no vestibular.

NÃO SE INTIMIDE COM ERROS
Se escrever é fundamental, ser lido é essencial. Quando estamos inseridos na produção de um texto, às vezes, deixamos uma ideia ou outra escapar. Assim, é muito positivo que um professor ou um amigo leia o seu texto e faça observações construtivas – tanto em relação à gramática quanto de coesão. Obviamente, no vestibular, você deverá ser o seu próprio crítico. Por isso, releia o seu texto mais de uma vez antes de passar a limpo.

EXERCITE COM QUESTÕES DISCURSIVAS
Aplique o que você aprendeu em todos os textos que você escrever. Não limite a técnica somente às aulas de Redação. As provas de Geografia e História, por exemplo, são excelentes oportunidades para exercitar a sua forma de escrever e a capacidade de síntese.

ESCREVA À MÃO
Os examinadores do vestibular olham (e muito) a caligrafia dos candidatos. Se a escrita não for legível, eles não irão se esforçar para entender o que você escreveu. Por isso, pratique a sua letra de mão e deixe o computador de lado. Quanto mais você escreve à mão, mais controle tem da caneta e, com o tempo, melhor a caligrafia.
Além disso, você se concentrará mais para escrever o texto e, provavelmente, vai tomar mais cuidado com a ortografia das palavras. Na hora do vestibular não tem corretor ortográfico do Word. Pense nisso!
CONSTRUINDO SEU TEXTO

A falta de ordenação é um erro comum nas redações. O texto fica sem encadeamento e, às vezes, incompreensível, partindo de uma ideia para outra sem critério, sem nenhuma ligação. Segundo os organizadores de vestibulares, não ordenar corretamente os argumentos é fruto da falta de prática e hábito de escrever.

Cuidado com a inadequação
A inadequação é um tipo de erro capaz de aparecer inclusive em redações corretas na gramática e ortografia e coerentes na estrutura. Nesse caso, os candidatos costumam fugir ao tema proposto, escolhendo outro argumento, com o qual tenham maior afinidade. O distanciamento do assunto pode custar pontos importantes na avaliação.

Seja coeso e coerente
Quando se escreve uma redação é muito importante tomar cuidado com a coerência. É comum encontrar argumentos contradizentes em um texto. Em uma parte o aluno defende e em outra parte se mostra contra.
Tome cuidado também com as redundâncias. Quando o candidato fica dando voltas em um assunto, ele demonstra que não tem conhecimento e pode ser até desclassificado. Este caso, é típico de quem não tem informação suficiente para compor o texto.

Crie parágrafos com frases estruturadas
Muitos dos candidatos têm demonstrado dificuldade em separar o texto em parágrafos. Sem a definição de uma ideia em cada parágrafo, a redação fica mal estruturada. Um erro muito comum, nesse caso, é cortar a ideia em um parágrafo para concluí-la no seguinte. Ou, então, deixar o pensamento sem conclusão.
Para evitar, monte frases correlatas e fique sempre atento à concordância nos tempos verbais e nominais, cheque a pontuação – principalmente separação errada de sujeito e predicado com vírgulas – e evite usar muitos verbos no gerúndio e particípio.

Fonte: Moderna

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contribua deixando seu comentário.