quinta-feira, 28 de junho de 2012

As profissões que não param de crescer no setor de saúde


RIO - Quando se pergunta às crianças o que elas querem ser quando crescerem, uma das respostas mais comuns é "médico". Quando crescem, no entanto, descobrem que a profissão é um dos muitos caminhos a seguir na área de saúde, mas não o único. Entre as opções, há a carreira de tecnólogo ou de técnico em diferentes áreas, de cuidadores de idosos, de nutricionista e de fonoaudiólogo.
Um dos segmentos que tem registrado um número cada vez maior de ofertas de emprego é o de atendimento aos idosos, que acompanha o crescimento da população desta faixa etária em todo o mundo. Segundo dados do IBGE, 7,4% dos brasileiros têm mais de 65 anos, e a expectativa é que o crescimento dessa faixa da população continue nos próximos anos, o que faz aumentar as oportunidades de trabalho para quem atua com a Terceira Idade, seja para médicos, enfermeiros ou profissionais de outras áreas que queiram se especializar.
Se você estiver interessado em atuar na área de saúde, mas não sonha em ser médico, listamos algumas opções de carreira com boas oportunidades no mercado de trabalho:


- Fisioterapeuta
O que faz: Previne, diagnostica e trata disfunções do organismo humano causadas por acidentes, má-formação genética ou vício de postura. Além de ajudar na recuperação de pacientes acidentados e portadores de distúrbios neurológicos, cardíacos ou respiratórios, trabalha com idosos, gestantes, crianças e portadores de deficiência física ou mental. Pode atuar em clubes esportivos, hospitais, centros de reabilitação e em clínicas de fisioterapia e ortopedia. Em empresas, trabalha com a prevenção de acidentes de trabalho e com a correção postural dos funcionários. Em escolas, corrige e orienta a postura de crianças, jovens e adultos.

- Fonoaudiólogo
O que faz: Atua em pesquisa, orientação, perícias, prevenção, avaliação, diagnóstico e tratamento fonoaudiológico na área da comunicação oral e escrita, voz, audição e equilíbrio, sistema nervoso e sistema estomatognático, incluindo a região cérvico-facial. Este profissional tem ampla autonomia, não sendo subordinado ou mero auxiliar de outras áreas do conhecimento ou especialidades. Pode atuar sozinho ou em conjunto com outros profissionais de saúde em clínicas, hospitais, centros especializados em diagnósticos; institutos gerais de perícia; centros de referência em saúde do trabalhador; como auxiliar do poder judiciário no âmbito das perícias judiciais que envolvem a área da audição, fala e linguagem, equilíbrio e demais áreas correlatas, nas esferas cível, trabalhista e criminal; em creches, escolas (comuns e especiais) e comunidades, incluindo o Programa de Saúde da Família; unidades básicas de saúde, unidades de referência para a média e alta complexidade de procedimentos do SUS; emissoras de rádio, televisão e teatro; atendimento domiciliar; empresas de próteses auditivas; indústrias, centros de habilitação e reabilitação; entre outros. Alguns optam por trabalhar com faixas etárias específicas, ou se concentram em tratamentos para problemas específicos de linguagem ou de deglutição.

- Enfermeiro do trabalho
O que faz: Presta apoio ao paciente em ambulatórios, em setores de trabalho e em domicílio, e fiscaliza a execução de atividades relacionadas aos serviços de higiene, medicina e segurança do trabalho, integrando equipes de estudos. Estuda e observa condições de higiene, periculosidade e segurança no ambiente de trabalho, além de planejar e executar ações de prevenção de riscos e acidentes com os trabalhadores. Cabe a ele a coleta de dados de doenças ocupacionais, realização de inquéritos sanitários, coleta de dados estatísticos de morbidade e mortalidade de trabalhadores e etapas precedentes aos estudos epidemiológicos. Executa e avalia programas de prevenções de acidentes de trabalho e de doenças profissionais ou não-profissionais, fazendo análise da fadiga, dos fatores de insalubridade, dos riscos e das condições de trabalho do menor e da mulher, para propiciar a preservação de integridade física e mental do trabalhador.

- Tecnólogo cardiovascular e técnico/tecnólogo vascular
O que faz: Realiza exames através de tecnologia de imagem tanto no coração como no sistema vascular para ajudar os médicos a detectarem e diagnosticarem possíveis problemas no coração e vasos sanguíneos. Alguns tecnólogos e técnicos fazem treinamento na própria empresa, mas muitos empregadores exigem certificação profissional.
Tecnólogos ou técnicos em laboratórios de análises clínicas
O que faz: Executa tarefas em um laboratório clínico, tais como coleta de amostras e realização de testes para analisar fluidos corporais, tecidos e outras substâncias. Nos Estados Unidos, em 2010, 52% desses profissionais trabalhavam em hospitais.

- Auxiliar de consultório dentário
O que faz: Auxilia os dentistas no atendimento aos pacientes de várias maneiras, como deixar o paciente confortável ​​antes dos procedimentos, esterilização de equipamentos, ensinar os pacientes a fazerem a higiene bucal e agendar as consultas e compromissos do dentista.
Nutricionistas/ Nutrólogos
O que faz: Especialistas em alimentação e nutrição, eles aconselham os pacientes sobre o que comer, a fim de levar uma vida saudável ou alcançar metas de peso corretas. A maioria dos trabalhadores neste segmento tem graduação superior.

- Atendente de óticas
O que faz: Atendem os clientes e os orienta na escolha dos óculos e lentes de contato, a partir da receita do oftalmologista. Esses profissionais costumam ter diploma de ensino médio ou equivalente, e muitos recebem treinamento específico nas óticas onde vão trabalhar. O treinamento pode incluir instrução técnica e de vendas e práticas de gestão de negócios.

- Cuidador domiciliar
O que faz: Com a população de idosos crescendo, aumenta também a necessidade de contratação de pessoas especializadas em cuidados pessoais a domicílio. Estes profissionais ajudam os pacientes idosos, deficientes ou doentes que não são capazes de cuidar de si de forma independente. Eles ajudam com tudo: desde a medicação, banho e vestimenta e tarefas domésticas. Podem trabalhar na casa do cliente, em clínicas ou casas especializadas em cuidados com idosos.

- Técnico em farmácia
O que faz: Ajuda os farmacêuticos licenciados a manipular as prescrições dos medicamentos, assim como executam tarefas administrativas nas farmácias. A maioria dos técnicos tem diploma de ensino médio ou equivalente. Estes profissionais podem trabalhar tempo integral ou parcial em farmácias tradicionais ou de manipulação ou em hospitais.



Fonte: O Globo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contribua deixando seu comentário.