quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

MEC vai comprar até 900 mil tablets para dar a alunos.



Primeira etapa de pregão eletrônico foi concluída na semana passada, e custo mínimo é de R$ 330 milhões. Alguns educadores consideram que compra só deveria ser feita após elaboração de conteúdo pedagógico específico.          
Sem alarde, o Ministério da Educação concluiu na semana passada o primeiro estágio de um pregão eletrônico para a compra de até 900 mil computadores do tipo tablet. O objetivo é distribuir os equipamentos para alunos do ensino médio e fundamental.                    
A compra dos tablets será feita por meio do "Um Computador Por Aluno", programa que prevê que os governos possam adquirir equipamentos a um custo mais baixo para a rede pública.          
O MEC afirma que o objetivo não é comprar os tablets para todos os alunos (estimados em 53 milhões), mas sim "criar pequenos núcleos de aplicação e desenvolvimento da tecnologia, que depois vão disseminar o conhecimento".         
A compra é polêmica. Alguns educadores consideram que ela só deveria ocorrer após elaboração de conteúdo pedagógico específico. O edital foi lançado no dia 28. A sessão de lances do pregão eletrônico começou na segunda da semana passada e foi concluída na terça.          
Dezenove empresas apresentaram propostas, mas só duas delas estão tendo suas documentações analisadas: a Digibras e a Positivo, pois deram os lances mais baixos.                    
Se o MEC ficar com as propostas mais baratas para os quatro lotes, o investimento total será de R$ 330 milhões.     
O edital previa a aquisição de dois modelos de configurações dos tablets. Ambos devem ter o sistema operacional Android, mais aberto para diversos tipos de aparelho. O sistema da Apple, por exemplo, só pode ser usado no iPad -que, na prática, fica excluído do pregão. 

Um comentário:

  1. Concerteza é um bom investimento para melhorar a educação, nossos alunos precisam sim de meios para estarem conectados com as novas tecnologias que veêm contribuindo no ensino aprendizado. Porém, creio que nós professores, mediadores do conhecimento também necessitamos dessa interação, uma vez que trabalhamos com o sistema eletrônico para lançamentos no diário de classe e no entando o governo ainda não nos enviou um tablet para trabalharmos. Além de fazermos a chamada na sala "no diário de papel", depois perdemos tempo lançando no sistema. Oh um Tablet para fazer meus lançamentos na hora hem....Mas irei esperar quem sabe papai Noel me envia um de presente no natal...

    ResponderExcluir

Contribua deixando seu comentário.