segunda-feira, 18 de julho de 2011

Oito em cada dez profissionais têm oferta de emprego.

Oito em cada dez profissionais com salário de R$ 6.000 a R$ 15 mil receberam proposta para mudar de emprego nos últimos 12 meses. O número foi revelado por pesquisa feita pela Asap, consultoria de recrutamento de executivos. A empresa ouviu 1.934 profissionais.
             Para "reter talentos" ""expressão que virou moda"", as empresas têm adotado políticas mais estruturadas e agressivas de remuneração, entre outras medidas. 
Quase quatro em cada dez entrevistados dizem ter recebido aumento salarial superior a 30% nos últimos três anos, independentemente de terem trocado de emprego. No período, a inflação acumulada foi de 17%. 
A abundância de oportunidades surpreende alguns profissionais, porém maioria dos entrevistados pela Asap que rejeitaram proposta de novo emprego citou "salário abaixo da expectativa" para a recusa. 
Mas, segundo especialistas, boa remuneração nem sempre é o que mais pesa. A pesquisa revela que a chance de "crescimento e promoção" contou mais para quem trocou de emprego. 
De acordo com Ruy Shiozawa, presidente do Instituto Great Place to Work, os esforços das empresas para reter mão de obra se traduzem em melhores políticas de RH. 
Como reflexo disso, o ranking "Melhores empresas para trabalhar" de 2011 feito pela Great Place to Work revelará melhora substancial na nota média (que combina a avaliação dos funcionários com a do instituto) recebida pelas companhias.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contribua deixando seu comentário.